Mesón Andaluz

Novidade, Bares e Restaurantes

Um dos pioneiros a fazer tapas entre nós muda-se para um espaço novo, no Cais do Sodré, conta Mariana Correia de Barros.
Podíamos começar este texto com uma frase feita, do género “Há mais um restaurante de tapas em Lisboa.” Não seria mentira, mas também não seria totalmente verdade. Porque o Mesón Andaluz, que ocupa agora o espaço do antigo Alecrim às Flores,  não é só um restaurante de tapas. Tem anos e anos de história – 33 para sermos exactos –, e tem uma legião de fãs que o conhece desde o dia em que abriu, na Parede ou, mais tarde, desde 1991, das idas ao Cascaishopping, onde o restaurante esteve alojado até se mudar para Lisboa.

O dono, Ilídio Almeida, garante que foi um dos primeiros a cozinhar tapas na nossa zona, e a conseguir passar jamón ibérico pela fronteira. “Não era legal trazer na altura, mas eu acabei por nunca perder nenhum dos presuntos que comprava”, diz.

Ilídio é português de pura cepa (nasceu na Covilhã e vive na Linha há mais de 40 anos), mas conheceu a gastronomia espanhola quando casou com a mulher, natural da Andaluzia. “Primeiro apaixonei-me por ela e depois pela cozinha.” Por isso decidiu montar uma casa com tapas, bom presunto, queijos espanhóis, paellas autênticas e uma excelente carne de boi maturada das Astúrias. “Temos também uma herdade em Arraiolos de onde vêm alguns produtos biológicos, como os borregos de pasto, os leitõezinhos e as ervas de cheiro.”

Dos anteriores espaços, este Mesón trouxe a equipa de cozinha, a equipa da sala, parte da garrafeira, com várias referências espanholas (tinha 4800 garrafas no centro comercial, e aqui está à espera de encontrar um espaço para as arrumar) e alguns pratos estrela como a paletilla de cordero lechal (19€), a canja de perdiz brava (8,50€), o gazpacho andaluz (5,50€) e uma série de tapas obrigatórias como os pimentos padrón, os de piquillo, as batatas bravas e os revueltos de espargos verdes. Mas introduziu algumas novidades. Entre elas está a tortilla superior (feita só com gemas de ovos), os ovos rotos com trufa negra ou o ceviche de bacalhau fresco. 

“A nossa bandeira é a tapa, mas depois temos outros pratos mediterrânicos”, explica Ilídio. Que além de estarem na carta, entram também nos menus de almoço, com um prato a 9€. De resto, já se sabe: a banda sonora é espanhola, a cerveja da Galiza (Estrella Galicia) e o espírito de partilha também. 
 
Travessa do Alecrim, 4. 21 460 0659. Seg-Dom 10.00-00.00 (Domingo encerra ao almoço)


Artigo publicado na edição nº266 da Time Out Lisboa, de 31 de Outubro de 2012.



 

Comentários

    Liliana
    Das tapas mais saborosas que já provei e com um atendimento excelente! Continuem o bom trabalho, nós agradecemos!
    29-01-2013 22:55:00

    Florbela Sena da Silva
    Ao fim de tantos anos continua com óptima cozinha e serviço, é um valor seguro e este novo local é fantástico, muito melhor do que o Cascais Shoping. Votos de grande sucesso
    10-12-2012 20:04:00

    Anthony
    I loved this restaurant in Cascais and went to their new location somewhat concerned that it would not be the same. I am pleased to say that it is even better. Still the great food and service (with fluent English) in a better setting just 200m down from Praca Camoes. Waiters have been there for years and extremely professional. No way would they rob you as previous writer mentions. Great tapas, some sophisticated like the tuna steak, and excellent wine list. Reasonably priced.
    21-11-2012 00:16:00

    Ilidio Almeida
    Boa Tarde, Sou Gerente do Restaurante Meson Andaluz e gostaria de tentar perceber melhor a situação pela qual a senhora se diz lesada, agradeço que entre em contacto com o nosso restaurante para podermos solucionar esta mesma situação.
    16-11-2012 18:01:00

    Maria
    Fui roubada em 10 euros pelo garçom que me atendeu. Nunca mais volto a esse restaurante.
    14-11-2012 11:07:00

Insira o seu comentário






Captcha




© 2007 - 2014 Time Out Group Ltd. All rights reserved. All material on this site is © Time Out.